TROCA DE AMÁLGAMA POR RESINA BRANCA

O amálgama é um restaurador constituído por uma liga de prata e mercúrio bastante limitado em suas funções.

O método de fixação ao dente é por imbricamento mecânico (encaixe).

Já a resina branca possui uma aplicação ampla, podendo ser usada para mudar a forma dos dentes, restaurar fraturas, preencher cavidades de cárie e minimizar imperfeições do esmalte.

Sua fixação ocorre por adesividade química, e esta é a melhor de suas propriedades.

O mercúrio, material altamente tóxico, que enquanto está formando a liga com a prata, é totalmente inerte, não causa danos à saúde mas, com o tempo, a prata sofre oxidação, liberando o mercúrio que entra em contato com os canalículos da dentina, que possuem comunicação com vasos e nervos, podendo causar alterações na saúde geral. 

Após a degradação da prata, forma-se uma camada de óxido escuro que, além de manchar o dente, promove o enfraquecimento das paredes, tornando-o suscetível à fraturas, permitindo a proliferação de bactérias, recidiva de cárie e o  comprometimento dos canais, pois a liga alterada, não mais exercerá a função de vedar e proteger contra a entrada de fluidos salivares contaminados. 

A resina branca, devido ao seu eficiente método de fixação, promove o vedação das margens com eficiência, e mesmo que sofra desgaste como tempo, o interior do dente fica tratado e protegido para sempre e o feixe vasculo-nervoso preservado.

 

POR QUE TROCAMOS RESTAURAÇÕES DE AMÁLGAMA?

O amálgama pode estar brilhante, com aparência saudável, mas devido à oxidação da prata, ele perde a adaptação interna e fragiliza o dente, podendo ocasionar fraturas.

RETRAÇÃO GENGIVAL E SENSIBILIDADE NOS DENTES

É importante saber que “ninguém nasce com os dentes sensíveis”, ou seja, eles estão sensíveis por algum motivo. A sensibilidade, na maioria das vezes, está relacionada à oclusão errada (desarmonia na distribuição das forças mastigatórias pela posição errada dos dentes no arco).

Pouquíssimos casos de sensibilidade estão relacionados à escovação “forte”. A sensibilidade pode ser definitivamente curada, identificando-se a causa e reparando o dano

GENGIVITE

É uma doença em estágio inicial, onde a gengiva fica inchada e sangra com facilidade, mas com uma profilaxia profissional e a orientação do paciente para a uma escovação correta, o quadro pode ser facilmente revertido. Caso não seja revertido com a intensificação dos cuidados, esses sintomas podem evoluir para uma Periodontite.

PERIODONTITE

Dentes com mobilidade, gengiva que sangra e mau hálito são sintomas relacionados a doença periodontal. Que tem início devido ao acúmulo de restos alimentares no sulco gengival, nicotina ou subprodutos do hábito de fumar. 

Tratar a periodontite não é uma tarefa fácil. 

Exige do paciente um cuidado redobrado com a limpeza e higienização dos dentes.

 Visitas trimestrais ao periodontista são necessárias para que o tratamento seja efetivo.